30 janeiro 2017

O tempo em nós.


Há uma serenidade no teu olhar que por vezes me deixa inquieta.

Existem pequenos detalhes no teu corpo que já conheço de cor, respostas que antecipo em dias menos agradáveis, pensamentos que te passam pela mente em dias de separação temporária que consigo percepcionar antes que me peças apenas um abraço, sem respostas ou sugestões; sei que há dias mais difíceis de ultrapassar, memórias mais complicadas de "enterrar" mas todas as vicissitudes de estar vivo nos completam, nos dão força e energia para as batalhas que realmente são essenciais vencer.

Entre dias mais ásperos e outros que nos surpreendem com pequenas magias vamos conciliando tempo que nos é tão precário, que nos é tão especial para manter uma chama acesa.
Há nesse teu sorriso uma tristeza que por vezes se abate e me faz carregar contigo o peso de uma vida combativa, há no teu rosto porém uma certeza de teres cruzado meu caminho na altura certa mesmo eu sabendo que mais acertada poderia ter sido se o destino nos tivesse apresentado anos antes.

E o tempo em nós que ata e desata laços, que nos une e nos aquece em momentos de noites passadas juntos, com os corpos dialogantes e as certezas inconstantes, ultrapassadas no tempo que solidifica, aparta e reúne outra vez.




1 comentário:

  1. Parabéns! Gostei mesmo muito do texto.
    Beijinhos

    ResponderEliminar